Como a cafeína aumenta a concentração e disposição?

capa-artigo-como-cafeina-aumenta-concentracao

A cafeína é a substância estimulante mais consumida no mundo. Aproximadamente 90% dos adultos consomem diariamente a cafeína em alimentos como: café, chocolate, folhas de chá ou suplementos. Quando consumida na quantidade recomendada, pode trazer diversos benefícios à saúde, entre eles o aumento da concentração e maior disposição para a realização de tarefas ou exercícios físicos.1,2

Benefícios da cafeína na concentração e disposição

Diversos estudos afirmam que o consumo da cafeína pode melhorar muitos mecanismos cognitivos comportamentais associados ao esporte e às tarefas do dia a dia com aumento da energia e diminuição do cansaço. Também oferece benefícios no aumento da atenção e concentração devido à sua capacidade de estimular o sistema nervoso, produzindo certo estado de alerta de curta duração, sendo uma excelente alternativa para aumentar o foco no estudo ou no trabalho. Talvez seja por esse motivo que o cafezinho faz parte do café da manhã de grande parte da população que quer começar o dia com muita energia e foco para encarar todos os desafios que estão por vir.3

Mas como isso acontece? A cafeína exerce uma ação inibidora sobre os receptores do neurotransmissor adenosina. Esse neurotransmissor é responsável por nos deixar mais calmos e sonolentos e está situado nas células nervosas. Sendo assim, o efeito da cafeína é oposto ao da adenosina. Com isso, temos a sensação de revigoramento, aumento da disposição e energia, menos sono e menos fadiga. A cafeína também exerce um efeito sobre a descarga das células nervosas e a liberação de alguns outros neurotransmissores e hormônios, como a adrenalina.4

Outro estudo comprovou que participantes que consumiram cafeína cometeram menos “alarmes falsos” do que os participantes que não consumiram cafeína em uma atividade proposta, comprovando que esta substância traz benefícios também sob concentração prolongada.5

Cafeína no aumento da disposição em atividades físicas

A cafeína é um estimulante para o sistema nervoso central e, apesar do efeito temporário, faz a pessoa sentir-se mais disposta contribuindo para o desempenho nos exercícios ou provas de resistência, além da melhora na performance cognitiva e no alerta.6

Um estudo recente, publicado em fevereiro de 2020, mostrou que os praticantes de atividades físicas que ingeriram cafeína no pré-treino relataram uma sensação de esforço significativamente menor durante o exercício e tiveram uma recuperação pós-exercício mais rápida.7

Por esse motivo que o Comitê Olímpico Internacional (COI) proíbe altas doses de cafeína no organismo. Atletas olímpicos com mais de 12 mg de cafeína por mililitro de urina podem ser desclassificados da competição.6

Cafeína na memória em longo prazo

Novos estudos estão pesquisando os benefícios da cafeína na proteção contra o envelhecimento cognitivo, na doença de Alzheimer ou demência. Embora existam resultados que indicam a cafeína como eficaz nesses cenários, mais estudos são necessários para comprovar esse benefício. Além de aumentar a memória e a cognição a curto prazo, algumas pesquisas limitadas também sugerem que o uso da cafeína a longo prazo pode proteger contra o declínio cognitivo ou demência.8

Como usar a cafeína?

Para ser obter os benefícios da cafeína, é de extrema importância não ultrapassar as quantidades recomendadas.
A dose de cafeína considerada segura para adultos é de até 400mg por dia (cerca de 5,5mg/kg de peso corporal), desde que não se ultrapasse 200mg a cada dose única. Sua absorção é muito rápida e é possível perceber seus efeitos de 30 a 60 minutos após a ingestão na grande maioria das pessoas.9

Altas doses de cafeína podem ainda provocar insônia, nervosismo, irritabilidade, ansiedade, além de náuseas e desconforto gastrointestinal.10

Visto que parte dos efeitos da cafeína estão relacionados com o aumento da energia, disposição e concentração, talvez não seja uma boa ideia fazer uso dela próximo da hora de dormir.

Em contrapartida, é uma excelente ideia usá-la antes do trabalho, estudo ou atividades físicas, aumentando assim o desempenho, o foco e a produtividade.

Consulte um profissional da saúde para melhor orienta-lo.

Referências:

  1. Beedie CJ, Foad AJ. The placebo effect in sports performance: a brief review. Sports Med. 2009;39(4):313-29.
  2. Saunders B, et al. Placebo in sports nutrition: a proof-of-principle study involving caffeine supplementation. Scand J Med Sci Sports. 2017;27(11):1240-7.
  3. Ballone GJ, Moura EC. Cafeína. 2008.
  4. Denson TF, et al. Caffeine expectancies but not caffeine reduce depletion-induced aggression. Psychol Addict Behav. 2012;26(1):140-4.
  5. Graham TE. Caffeine and exercise: metabolism, endurance and performance. Sports Med. 2001;31(11):785-807.
  6. Rogers NL, Dinges DF. Caffeine: implications for alertness in athletes. Clin Sports Med. 2005;24(2):e1-13, x-xi.
  7. Mesquita RNO, et al. Effects of caffeine on neuromuscular function in a non‐fatigued state and during fatiguing exercise. Experimental Physiology. 2020;105:690-706.
  8. Carman AJ, et al. Current evidence for the use of coffee and caffeine to prevent age-related cognitive decline and Alzheimer's disease. J Nutr Health Aging. 2014;18(4):383-92.
  9. Cappelletti S, et al. Caffeine: cognitive and physical performance enhancer or psychoactive drug? Curr Neuropharmacol. 2015;13(1):71-88. Erratum in: Curr Neuropharmacol. 2015;13(4):554.
  10. Altimari LR, et al. Cafeína: ergogênico nutricional no esporte. Rev. Bras. Ciên. e Mov. 2001;9(3):57-64.
Compartilhar: