A Importância da ProteÍna
para pessoas 50+

IMPORTÂNCIA DA PROTEÍNA1

MINIMIZA A PERDA E
RECUPERA A MASSA
MUSCULAR

REFORÇA A
IMUNIDADE

O consumo de proteínas aumenta a concentração de imunoglobinas (IgC e IgA), oferecendo efeito protetor contra as infecções e os processos inflamatórios, com ação antibacteriana e antiviral.

O baixo consumo de proteínas para
pessoas 50+ pode causar: 2-4

DIMINUIÇÃO DA MASSA MUSCULAR

FRAGILIDADE:
(DESNUTRIÇÃO E SARCOPENIA)

PERDA DE MASSA ÓSSEA

A boa nutrição, especialmente uma ingestão adequada de proteínas, ajuda a prevenir a perda de massa muscular ou a recuperar a massa muscular perdida durante o processo de envelhecimento.5

O que é Sarcopenia? 6

Sarcopenia é o processo natural de perda progressiva da massa muscular durante o envelhecimento.

MASSA
MUSCULAR

FORÇA
MUSCULAR

FUNÇÃO
MUSCULAR

Fraqueza, quedas, fraturas, dependencia e hospitalização.

O consumo adqueado de proteínas e a prática regular de exercícios físicos
contribuem para a prevenção da sarcopenia

Apenas 40% das pessoas consomem o necessário de proteínas.7,8

Recomendação diária de proteínas para pessoas com 50 anos ou mais 9,11

Quem passou dos 50 anos precisa de mais proteína para apresentar a mesma
eficiência no metabolismo proteico dos jovens.

Ingestão recomendada

1,0g/1,2g de proteína
por quilograma de peso corporal 5

Homem 50+
pesando 8
0kg deve
consumir de 80 a 96g/dia

Mulher 50+
pesando 6
0kg deve
consumir de 60 a 72g/dia

Onde encontrar as proteínas?*

Carnes, Frango e Peixes
~ 20g de proteínas/uma unidade pequena

Ovos
~ 8g de proteínas/uma
unidade

Leite e Derivados
~ 8g de proteínas/copo ou fatia de queijo

Feijão, Lentilha e Grão-de-bico
~ 5,1g de proteína/uma concha de feijão

Frutas, vegetais e nozes
~ 7g de proteínas/10 unidades de nozes

*Tabela Brasileira de Composicao de Alimentos - TACO 4 Edicao Ampliada e Revisada 2011.

Existem casos onde o uso de complementos nutricionais,
como NUTREN® Senior, podem ajudar.
Tais como:

  • Alimentação pobre em proteínas
  • Redução de apetite
  • Dificuldade para mastigar
  • Dificuldade de deglutição
  • Limitações funcionais e cognitivas

Complementos nutricionais com alto teor de proteínas

É comum que as pessoas comecem a comer menos alimentos com a idade. São diversos os fatores que contribuem para isso, como: a falta de apetite, alterações na percepção de cheiro e sabor, viver sozinho, pouco interesse em cozinhar e dificuldade de mastigação. Adultos mais velhos, que comem abaixo do recomendado, muitas vezes não conseguem atingir a quantidade suficiente de macro e micronutrientes. Para aqueles que não conseguem manter uma alimentação completa e balanceada, um reforço nutricional pode ser um importante aliado.

*Considerando porção diária de
55g de NUTREN®Senior Sem Sabor

Vitamina D*
96%

Selênio*
98%

20g
de Proteína*

Vitamina C*
67%

Zinco*
53%

Como incluir NUTREN® Senior na dieta de pessoas 50 ou mais

Consumir NUTREN® Senior Pronto Para Beber, ou a versão em
Pó com Sabores adicionado ao leite, ou ainda, na opção Sopa
Nutritiva Instantânea.

Acrescentar NUTREN® Senior sem
Sabor em bebidas e receitas doces
ou salgadas. (clique aqui)

Referências: 1. Sgarbieri VC. Propriedades fisiológicas-funcionais das proteínas do soro de leite. Rev. Nutr. 2004;17(4):397-409. 2. AM, Antonelli-Incalz R. Covid-19 Spiraling of frailty in older Italian patients. J Nutr Health Aging. 2020;24(5):453-455. 3. Cederholm T, et al. GLIM Working Group. GLIM criteria for the diagnosis of malnutrition - A consensus report from the global clinical nutrition community. Clin Nutr. 2019;38(1):1-9. 4. Coelho-Júnior HJ, Rodrigues B, Uchida M, Marzetti E. Low Protein Intake Is Associated with Frailty in Older Adults: A Systematic Review and Meta-Analysis of Observational Studies. Nutrients. 2018;10(9):1334. 5. Gonçalves T, et al. Diretriz BRASPEN de terapia nutricional no envelhecimento. BRASPEN J. 2019;34(Supl 3):2-58. 6. Cruz-Jentoft AJ, et al. Writing Group for the European Working Group on Sarcopenia in Older People 2 (EWGSOP2), and the Extended Group for EWGSOP2. Sarcopenia: revised European consensus on definition and diagnosis. Age Ageing. 2019;48(1):16-31. Erratum in: Age Ageing. 2019;48(4):601. 7. Fisberg R, et al. Ingestão inadequada de nutrientes na população de idosos do Brasil: Inquérito Nacional de Alimentação 2008-2009. Revista de Saúde Pública. 2013;47(1):222S-30S. 8. Abreu W, et al. Inadequação no consumo alimentar e fatores interferentes na ingestão energética de idosos matriculados no programa municipal da terceira idade de Viçosa (MG). Revista Baiana de Saúde Pública. 2008;32(2):190-202. 9. Najas MS, Maeda AP, Nebuloni CC. Nutrição em Gerontologia. In: Tratado de Geriatria e Gerontologia. Freitas EV et al. 4ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017. cap 126. 10. Dent E, et al. Physical Frailty: ICFSR International Clinical Practice Guidelines for Identification and Management. J Nutr Health Aging. 2019;23(9):771-787. 11. Ferrucci L, Fabbri E. Inflammageing: chronic inflammation in ageing, cardiovascular disease, and frailty. Nat Rev Cardiol. 2018;15(9):505-522.

  • Libras
  • Voz
Beacon